Logística guiada pelo propósito: 4 passos para implementar na sua empresa

logística

Em meio às mudanças no comportamento social, os consumidores passaram a valorizar organizações que demonstram ter propósito. A pesquisa Purpose Premium Index, da InPress Porter Novelli, apontou que 90% das pessoas confiam em empresas humanizadas. Já 88% preferem comprar marcas que defendem algo maior do que seus produtos e serviços. Em relacionamentos tão distantes como os da logística, focar em aspectos desse tipo pode soar estranho. Porém, por trás das decisões da cadeia de suprimentos, sempre haverá pessoas que almejam ser conquistadas.

Neste artigo, você verá por que ter um posicionamento dessa esfera é importante e como implementá-lo no supply chain. Boa leitura!

Por que a logística precisa de propósito?

Antigamente, a gestão logística trabalhava voltada apenas para aumentar o lucro. Ou seja, as relações eram mantidas com o menor preço possível, desde que atendessem aos requisitos mínimos de qualidade e prazo. Entretanto, atualmente, vivenciamos a conscientização sobre o impacto das empresas no meio ambiente e na sociedade como um todo.

Assim, ser guiado pelo propósito significa compreender que há muitos aspectos a se considerar. Não apenas sobre o que será entregue, mas os detalhes do processo para que isso aconteça. Logo, existem restrições ambientais e humanas que devem ser colocadas em pauta. A ética, muitas vezes ignorada, deve estar presente em todas as decisões.

O resultado dessas medidas é uma maior credibilidade da indústria tanto pelo mercado quanto por clientes. Portanto, em uma era que cada vez mais se cobra ações e respostas, trabalhar com propósitos é uma ótima estratégia. Desde que ele seja verdadeiramente seguido pela equipe interna.

Quais passos a logística deve seguir para demonstrar propósito?

A partir do conceito claro da importância de se ter uma logística com propósito, é hora de colocá-la em prática. Veja abaixo quais são as principais formas de se posicionar para quem trabalha nessa área.

1. Conecte a sua empresa com as necessidades dos clientes

Uma forma real de trabalhar a logística com propósito é jamais decepcionar o cliente. Porém, não se trata apenas de cumprir prazos, mas sim de garantir que suas necessidades reais sejam atendidas. Se você atende à área farmacêutica, por exemplo, deve trabalhar para que os remédios cheguem da forma correta em hospitais, farmácias, entre outros. Já em uma atuação com alimentos perecíveis, os supermercados devem estar sempre abastecidos.

Além de garantir que o consumidor não terá dificuldades em encontrar o que deseja, o atendimento também é relevante. De acordo com uma análise da PwC, velocidade, conveniência e prestatividade são os decisores de compra para 80% dos brasileiros. Inclusive, 23% dos respondentes disseram aceitar um preço mais elevado, caso seja oferecida uma ótima experiência do usuário.

2. Analise os impactos que a companhia causa

O compromisso com o desenvolvimento do cidadão e a defesa de assuntos ambientais são a base fundamental da logística com propósito. Se tratando de uma área que tem real participação no aumento da poluição, a preocupação nesse sentido deve ser contínua. É preciso investir em estudos sobre a geração de resíduos, emissões de carbono e consumo de recursos.

Um dos meios para isso é a aplicação do ESG – Environmental, Social and Governance. Esse termo, que vem substituindo a palavra sustentabilidade nas corporações, está relacionado à adoção de hábitos mais saudáveis na rotina. A partir de metodologias assim, você mostra que a sua marca supera questões comerciais. Há uma atenção real para a proteção do meio ambiente e, principalmente, com a saúde das pessoas.

3. Faça um trabalho de engajamento inclusivo

Além das questões ambientais, a logística deve visar a discussão de assuntos que nem sempre foram considerados dentro das empresas. Discussões sobre gênero, raça, etnia, idade, credo, deficiência, entre outros, não podem passar despercebidas por empreendedores e gestores. A igualdade plena é uma exigência forte da comunidade atual e a área de suprimentos não pode fugir disso.

Nesse sentido, vale a pena desenvolver trabalhos de engajamento para o entendimento dessas questões junto às equipes internas e externas. Para que a sua demonstração de propósito realmente faça sentido, ela deve estar alinhada com as necessidades e pautas atuais da sociedade. Ainda, não basta apenas conhecê-las ou entendê-las. É necessário trabalhar para que o setor corresponda de maneira real, aliando eficiência operacional com ética e valores.

4. Estimule a inovação em todos os processos

Criar valor em seus processos é o que irá diferenciá-lo da concorrência. Por isso, lembre-se de fazer o seu melhor em cada trâmite, seja pela customização, atendimento ou flexibilidade. Isso garantirá a perenidade do seu negócio, um lema gigante a ser seguido. Ainda, confira se o seu propósito está sendo colocado em prática por toda a organização. Ele deve estar amplamente comunicado internamente e externamente, de ponta a ponta na cadeia de suprimentos.

Para garantir que isso aconteça, o seu objetivo precisa ser o mesmo das outras pessoas envolvidas. Esse é um ponto importante a se considerar na contratação de colaboradores. Todos trabalham com mais conforto quando acreditam nos princípios pelos quais estão sendo guiados. Encontrar um local compatível com seus valores humanos, ambientais e éticos não tem preço.

Quanto maior o seu mercado de atuação, mais complexas são as diretrizes para manter o compliance. Logo, traçar o planejamento logístico colocando em questão características sociais e econômicas é o hábito das grandes corporações. Ajudando você com esse desafio, preparamos, no blog da Nimbi, um conteúdo especial sobre como o setor de compras pode auxiliar na implantação do ESG. Não deixe de conferir!

Compartilhar: 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin