monitoramento de cargas

O que acontece quando você não faz o monitoramento de cargas da forma correta?

O transporte rodoviário de mercadorias oferece muitos riscos. Desde a violência, até as condições das estradas, existem muitos fatores que, infelizmente, nem o mais experiente gestor de frota consegue eliminar. Por outro lado, pode-se aumentar, consideravelmente, a segurança das operações por meio de um monitoramento de cargas conectado e eficiente.

A logística 4.0 já trouxe uma série de inovações para a rotina dos gestores, mas ainda existem aqueles que relutam em aderir à transformação digital. Entretanto, essa resistência pode custar caro para o negócio, tanto em termos financeiros quanto estratégicos. Neste artigo, mostraremos alguns dos riscos que o seu negócio corre ao não investir na melhoria do monitoramento de cargas. Acompanhe!

O que a sua empresa perde ao não fazer o monitoramento de cargas corretamente?

Antes, é bom esclarecermos as diferenças entre dois termos que, frequentemente, são usados como sinônimos: rastreamento e monitoramento de cargas. O primeiro caso se refere a encontrar a localização de um caminhão e carga em determinado momento. A tecnologia GPS já é uma grande conhecida do setor de transportes e é por meio dela que são obtidas essas informações.

Já o monitoramento de cargas é um conceito que abrange muitos outros dados, em tempo real. Como o acompanhamento acontece 24h, o gestor consegue:

  • colher informações sobre velocidade praticada pelo motorista, freadas bruscas e número de paradas;
  • caso haja necessidade de desvios, calcular como o novo caminho impacta no prazo de entrega;
  • conferir o trânsito em tempo real, podendo propor alternativas que evitam tráfego intenso;
  • agir rapidamente em caso de imprevistos, como acidentes ou avarias;
  • saber quando a rota está sendo seguida;
  • localizar as cargas em caso de roubo.

Como você pôde perceber, realizar o monitoramento da carga fornece dados muito mais completos que o simples rastreamento. Eles ajudam o gestor a determinar pontos importantes de melhoria, como itinerário e programação de entregas. Além disso, também permite conhecer melhor o comportamento dos motoristas, sinalizando imprudências e práticas que devem ser coibidas.

Sem acesso aos dados fornecidos pelo monitoramento de cargas, as análises são muito mais rasas e pouco auxiliam na tomada de decisão. Mas esse é apenas um dos pontos que as transportadoras saem perdendo ao não aderirem às tecnologias de gestão de frota. Confira outros 3 abaixo.

Perda de agilidade

Planejar o transporte de cargas é uma tarefa complexa e que exige muito de quem gere esse processo. Na verdade, essa função pode ser dividida em duas frentes: planejamento e controle. No primeiro momento, estão as etapas de criação de pedidos, de viagens e roteirização. Porém, o trabalho não termina quando a carga é embarcada e é preciso monitorar as ocorrências, as rotas e as entregas. Quem ainda preza por um modelo manual de gestão, certamente, tem um gasto de tempo considerável para isso.

Não contar com as inovações disponíveis para o monitoramento de cargas, resulta na perda de agilidade de diferentes maneiras. Uma delas é quanto ao trabalho operacional que precisa ser realizado pela equipe ou gestor, como citamos acima. Mas é inegável que um dos grandes gargalos está na eficiência das entregas. Sem informações para embasar as decisões logísticas, o planejamento fica comprometido. Também, no caso de imprevistos, é impossível agir rápido e minimizar os danos, seja remanejando a carga ou comunicando o ocorrido ao cliente.

Custos mais altos

Em todos os segmentos do mercado, a busca tem se focado em um só ponto: a redução de custos. E isso deve englobar todas as áreas de uma empresa, desde a produção, até o setor de compras e, claro, o de logística. Neste setor há um potencial enorme de gerar saving, ou seja, de economizar. Isso porque, aqui, nem tudo se resume às cifras desembolsadas mensalmente, mas também àqueles custos indiretos, que podem passar despercebidos.

Apenas com o correto monitoramento de cargas é possível ter acesso aos dados de todas as viagens e desempenho dos veículos. Isso deve servir para que o gestor atue de maneira estratégica, podendo encontrar pontos que tornam o processo custoso e otimizá-los.

Ainda falando em economia, o investimento financeiro necessário para adotar as inovações disponíveis é o argumento de muitos gestores que resistem à transformação digital. Entretanto, plataformas modernas e que atuam em nuvem, ou seja, não precisam estar dentro da empresa para coletar os dados, já estão disponíveis e dando bons resultados para embarcadores. Ao criar uma verdadeira Torre de Controle on-line, os custos da operação logística sofrem uma redução de até 30%.

Atualmente, os gestores de frota já podem contar com ferramentas sem custo de adesão ou cancelamento. Além disso, possibilitam o monitoramento de cargas em tempo real e análise de métricas importantes para o negócio. Entre em contato conosco e tire suas dúvidas.