Quais as vantagens de ter um sistema de TMS na sua empresa?

sistema de TMS

A gestão da logística é um processo complexo. Além de administrar uma série de etapas, é preciso certificar-se de que tudo está em conformidade com a legislação. Para auxiliar nessa tarefa, o sistema TMS é uma boa solução. Na verdade, ele não é novidade, uma vez que está no mercado desde 1990. Talvez, você até conte com um. Ou, como é a realidade da maioria dos embarcadores, com vários! Entretanto, os softwares evoluíram e, hoje, ter mais de uma opção é encarado como um custo extra no transporte de carga.

Atualmente, um TMS integrado pode reduzir em até 30% os custos da operação. Esses softwares possibilitam a construção de uma verdadeira torre de controle digital, onde o gestor tem, em um único lugar, todas as informações, da criação da viagem até a entrega do produto.

Bom, mas é claro que não são só essas as vantagens de ter um TMS de ponta na sua gestão da logística. Neste artigo, trouxemos outros 3 benefícios! Acompanhe!

3 motivos para sua empresa contar com um sistema TMS

Mesmo que a sigla seja bastante conhecida, é sempre bom conhecer o conceito que ela representa. Neste caso, estamos falando da abreviação de Transportation Management System que, em tradução, significa Sistema de Gerenciamento de Transporte. Hoje, os TMSs mais modernos, operam por meio de um modelo conhecido como SaaS. E, aqui, mais uma sigla para tomar nota! O software as a service  é um modelo que opera em nuvem, portanto, não exige instalação de programas no computador de quem faz a gestão da logística.

Entretanto, outro importante diferencial fica na forma de pagamento, via mensalidades, e alguns, sem custo de implantação e usuários, o que os torna opções mais viáveis, pois se adaptam a qualquer tamanho de empresa e são escaláveis. Dessa forma, não se corre o risco de efetuar um investimento em uma solução que, em pouco tempo, se mostra ineficaz.

Que esse sistema de gestão de transportes ajuda a reduzir custos, já ficou claro. Mas o TMS tem outros benefícios. Confira os 3 principais!

1. Controle das operações

O controle manual das operações ainda é uma realidade para muitos embarcadores. Centralizar todas em um único sistema TMS evita o que se pode chamar de “controle individual”, que é quando um colaborador tem a informação, mas não a registra nem compartilha com os demais. Os softwares mais completos possibilitam a criação de uma torre digital, onde as duas etapas da gestão logística (planejamento e controle) são monitoradas por mais de um usuário e têm todas as movimentações registradas.

Ainda no que diz respeito ao controle, há possibilidade de o TMS ser integrado a aplicativos no celular. Mesmo rodando em segundo plano, isso é, sem estar na aberto na tela principal, o monitoramento da viagem é completo. É possível saber onde a carga está, qual a agenda, previsibilidade de entrega e imprevistos que podem impactar o prazo. Assim, o gestor tem acesso total às atividades de coleta, deslocamento e entrega.

2. Capte dados e encontre pontos de melhoria

Angariar e tratar os dados gerados pelos softwares é um dos grandes desafios na gestão da logística do século 21. Especialmente, para quem ainda usa mais de uma plataforma para realizar esse trabalho. Um bom sistema TMS, mais que captar os dados, oferece um painel interativo com indicadores de performance, gestão de entregas, ocorrências e agendamentos.

Com essas métricas, fica muito mais fácil encontrar padrões, como atrasos recorrentes de uma mesma transportadora, ou maior incidência de quebra nos veículos. E, claro, a partir dessas informações, agir em tempo hábil para corrigi-las.

3. Crie pedidos com integração ERP

Ainda falando em trabalhos complexos e que, mesmo assim, são feitos manualmente, não podemos deixar de citar a criação de entregas e viagens. Os TMS mais modernos têm integração com o ERP que a sua empresa utiliza. Assim, a partir do momento em que os dados são inseridos no sistema (número da nota fiscal, destino, itens etc.), a plataforma já dá início ao planejamento da rota.

A roteirização, por sinal, é um ótimo exemplo de sistema extra necessário na gestão da logística. Normalmente, esse é um software separado e não integrado. Ou seja: mais um programa para “alimentar” com as informações que já haviam sido disponibilizadas no ERP. Um TMS robusto já terá essa função no menu, o que elimina a necessidade de mais um sistema para o mapeamento da rota.

Mesmo que já bastante conhecido, o sistema TMS evoluiu e assumiu um papel ainda mais importante na gestão dos transportes. Porém, essa é apenas uma das muitas inovações que a tecnologia trouxe para essas empresas. Leia o artigo Logística 4.0: como a inovação vem transformando esse setor? e conheça outras!

 

Compartilhar: 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin