Transformação digital e o engajamento da área de compras

A transformação digital vem se mostrando em diversas áreas, de diferentes maneiras. Na indústria, sensores, drones e equipamentos cada vez mais modernos agilizam a produção. Nas áreas gerenciais, softwares simplificam a rotina e reduzem as chances de erros. Na área de compras, eles se mostram imprescindíveis, justamente, por esses dois motivos. Os processos são automatizados, além de diminuírem a interferência humana e garantir a segurança das transações.

Porém, mesmo com essas vantagens, muitos gestores ainda enfrentam resistência ao tentar inserir a transformação digital na rotina. Surpreendentemente, muitas vezes, o desafio não está nem na liberação de orçamento para esses investimentos, mas na falta de engajamento dos colaboradores. E, realmente, se não houver aceitação por parte da equipe e as soluções não forem exploradas na sua totalidade, muitos recursos serão desperdiçados.

Por outro lado, promover o engajamento dos profissionais é muito mais simples do que pode parecer. Neste artigo, trouxemos três dicas que ajudarão os gestores a introduzir a transformação digital na cultura do setor. Acompanhe!

O primeiro passo: desmistificar a transformação digital na área de compras

“As fábricas do futuro terão apenas dois funcionários: um homem e um cachorro. O homem para a alimentar o cachorro e o cachorro para impedir que o homem mexa nas máquinas”. Essa declaração do professor Holden Shielen, da University of Twente Initiative for Purchasing Studies, certamente causa impacto. Mais que isso: assusta muita gente que ainda não está familiarizada com a transformação digital. Entretanto, precisamos pontuar que essa colocação é bastante exagerada e que, nem no cenário mais distópico, a intervenção humana pode ser descartada.

De fato, automatizações surgem para substituir o trabalho braçal, como aconteceu já na 1ª Revolução Industrial. E, com as inovações tecnológicas, é natural que sejam criadas ferramentas que otimizem o tempo, reduzam custos ou tragam outro tipo de ganho estratégico para as empresas. Entretanto, esse movimento traz consigo a criação de novos postos de trabalho. Para se ter uma ideia, até 2022 é estimado que a tecnologia gere 133 milhões de novos postos de trabalho. Afinal, todas essas soluções precisam ser monitoradas. E, mais: apenas um ser humano é capaz de analisar os dados gerados e usá-los como base para decisão.

A partir do momento em que a transformação digital é desmistificada e encarada como um processo natural de evolução, o engajamento tende a aumentar. Por verem que a tecnologia acrescenta, não exclui, os colaboradores passam a implementá-la no dia a dia. Assim, percebem as vantagens que contar com essas soluções traz para a gestão do setor de compras.

Como aumentar o engajamento? 4 dicas para gestores

Como você pôde perceber, a tecnologia não visa a, de forma alguma, acabar com a mão de obra humana. Entretanto, é impossível negar que a transformação digital exige habilidades diferentes daquelas apreciadas pelo mercado de trabalho há alguns anos.

É preciso, sim, saber interagir com as inovações. Mas, quando os colaboradores estão engajados e aderem à transformação digital, eles ganham uma posição muito mais estratégica na empresa. Com as pequenas demandas manuais sendo automatizadas ou o acesso a documentos corriqueiros sendo facilitado, eles podem se voltar para funções que, de fato, farão diferença para o setor de compras, como a análise das oportunidades estratégicas de negócios. Confira as dicas que trouxemos para que os gestores consigam um maior engajamento por parte da equipe.

1. Inserir a transformação digital na rotina

Transformação digital é mais que tecnologia, é uma mudança profunda de cultura. Então, não basta apenas determinar aos colaboradores uma nova forma de fazer as coisas. É fundamental mostrar o porquê disso, os motivos que levaram o negócio a acreditar que essa é uma boa oportunidade de crescimento. É preciso que as pessoas vejam que estão contribuindo para os objetivos da empresa.

Um ponto a favor desse inserção é a agilidade que a tecnologia traz para o dia a dia dos colaboradores. Ao reduzir a carga de trabalhos operacionais, a equipe consegue perceber as melhorias que adotar as inovações traz para a rotina da área de compras e, assim, tornar-se mais propensa a utilizá-la.

2. Relacionamento baseado na confiança

Incentivar um ambiente mais colaborativo é fundamental para que exista engajamento. Para isso, é preciso que o líder esteja aberto às perguntas e mostre, mesmo que indiretamente, que respondê-las não é um problema. Com esse respaldo, os profissionais se sentem mais confiantes para testar novas ferramentas e processos.

Outro ponto importante é que o diálogo aberto ajuda o gestor a perceber melhor a aceitação da equipe à transformação digital. Dessa forma, as expectativas são alinhadas de forma clara e isso contribui para um trabalho mais fluido no setor de compras.

3. Habilidades potencializadas

Como mencionamos, as habilidades que, antes, eram imprescindíveis, agora são encaradas de outra forma. E, aqui, estamos falando das soft skills, as competências comportamentais de um colaborador. Flexibilidade, espírito de equipe, inteligência emocional, criatividade e resiliência são alguns exemplos. É bastante comum, no setor de compras, encontrar profissionais que buscam apenas o aprimoramento técnico e negligenciam questões como a autogestão e a organização. Mas esse cenário vem mudando em todos os segmentos.

Cabe ao líder explorar e aprimorar essas habilidades. Conhecer os perfis com quem interage, entender os potenciais de cada um e incentivar o seu desenvolvimento são atitudes que, consequentemente, fazem o engajamento aumentar.

4. Indicadores de desempenho

Uma das grandes vantagens que a tecnologia traz para a área de compras, é a possibilidade de mensurar o desempenho das ações. Por meio dos softwares, é possível determinar uma série de métricas que ajudam a encontrar gargalos produtivos e melhorar a performance dos colaboradores.

Mais que apenas determinar os objetivos, a tecnologia oferece dados e gráficos que permitem uma visão muito mais assertiva. Assim, dá para saber se as ações determinadas estão surtindo o efeito esperado e, caso não estejam, onde elas podem ser aprimoradas. Compartilhar esse panorama com a equipe da área de compras ajuda no engajamento, uma vez que todos têm acesso às metas, objetivos e sabem, com clareza, o que é esperado dela.

O baixo engajamento dos colaboradores do setor de compras não pode ser um empecilho para a transformação digital. Até porque, como você viu, reverter esse quadro não é difícil, apenas exige um olhar mais acurado do gestor para as necessidades da equipe.

Se você gostou de saber mais sobre transformação digital no setor de compras, continue acompanhando o nosso blog!