3 passos para atingir o bem-estar trabalhando na área de compras

seleção de fornecedores

A área de compras, definitivamente, não é conhecida por ter uma rotina calma. São vários e-mails, telefonemas, planilhas, orçamentos, sem falar no acompanhamento de métricas importantes, como Lead Time e Cost Avoidance. Por conta disso, é comum encontrarmos compradores que deixam o bem-estar de lado e acabam, até mesmo, desenvolvendo doenças ocupacionais. Um exemplo é a Síndrome de Burnout, que foi assim reconhecida em 1º de janeiro, após sua inclusão na Classificação Internacional de Doenças (CID) da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em algumas empresas, a tecnologia já vem ajudando os profissionais da área de compras a desacelerar. Com ferramentas que automatizam até 70% do processo de aquisição, muito peso é tirado dos ombros dos profissionais. Desse modo, eles podem se dedicar a questões mais relevantes para o negócio e, também, passam a ter mais bem-estar no ambiente corporativo.

Neste artigo, trouxemos 3 dicas para você aplicar hoje mesmo. Confira e veja como é possível trabalhar na área de compras e ter mais qualidade de vida!

3 atitudes que potencializam o bem-estar de quem trabalha na área de compras

Seja você um comprador ou um líder da área de compras, confira as dicas que separamos para ajudar a elevar o bem-estar no ambiente de trabalho.

1. Organize seu dia

Quando nada é prioridade, tudo parece urgente! Assim, fica fácil começar uma tarefa, pular para outra e, no fim do dia, muitas delas permanecerem incompletas. Uma pesquisa do Instituto de Psiquiatria do Paraná relacionou o hábito de fazer listas de tarefas a índices mais baixos de procrastinação e maiores níveis de conscienciosidade. Esta última refere-se a um traço de personalidade ligado à disciplina, organização e competência. Ainda conforme o estudo, quanto mais formal (escrita em um local próprio para isso) for a lista, maiores as chances de que ela seja cumprida.

Porém pouco adianta começar uma lista e deixá-la enorme, completamente irrealizável. Por isso, é necessário aprender, também, como priorizar as atividades. A Matriz de Eisenhower, assim nomeada em homenagem ao ex-presidente estadunidense Dwight Eisenhower, pode ajudá-lo. Nela, as atividades são divididas em quatro quadrantes. São eles:

  • urgente, porém não importante;
  • não urgente e não importante;
  • importante, mas não urgente;
  • urgente e importante.

2. Faça pequenas pausas

É fácil se deixar absorver pelo ritmo frenético da área de compras. Mas realizar pequenas pausas e socializar com os colegas pode ter impacto não apenas no seu bem-estar mental, mas físico. Quem diz isso é um estudo realizado pelo Instituto Karolinska, em Estocolmo, e publicado no “The American Journal of Physiology: Endocrinology and Metabolism”. Os pesquisadores defendem a ideia de que 3 minutos de exercício, mesmo que uma caminhada pelos corredores da empresa, a cada 30 minutos já ajuda a diminuir os efeitos negativos do sedentarismo.

Outro motivo para tirar uns minutinhos longe do computador é a socialização. Um artigo da PhD em sociologia Tracy Brower, publicado na Forbes, defende a ideia de que as conversas entre colegas têm benefícios individuais e coletivos. Ainda, que podem “contribuir para o desempenho, envolvimento, inovação, felicidade e realização”. Para ajudá-lo a lembrar de fazer essas pausas, o método Pomodoro é uma boa pedida. Ao instalar o plug-in e dar início, ele cronometra jornadas de 25 minutos (que você pode personalizar) com 5 minutos de intervalo entre elas.

3. Estimule bons hábitos na sua equipe

Quem ocupa cargos de gerência, não à toa, é visto como exemplo pelos demais colegas. Então, se você lidera a área de compras da sua empresa, saiba que é seu papel estimular as ações que promovam o bem-estar na equipe. A ginástica laboral é uma das mais lembradas, mas vale ressaltar que a adesão dos gestores é primordial para o sucesso da prática.

Entretanto, promover um ambiente mais ativo fisicamente não é o suficiente para elevar o bem-estar dos colaboradores. Afinal, para quem passa longas horas negociando sob pressão, o cansaço mental é tão preocupante quanto o sedentarismo. Por isso, iniciativas que ajudem os compradores a relaxar, como incentivo à meditação, ter espaços acolhedores para a troca de ideias e desenvolvimento de soft skills são importantes para uma melhor qualidade de vida no ambiente de trabalho.

Promover um ambiente onde há qualidade de vida e bem-estar tem impacto não apenas no convívio entre a equipe, mas também nos resultados. De acordo com uma pesquisa da Gallup, empresa de pesquisas de opinião estadunidense, concluiu-se que colaboradores mais engajados são 17% mais produtivos e registram 41% menos faltas.

Compartilhar: 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin