Gestão de compras: confira 5 erros que podem prejudicar sua empresa

Foto de uma empresária preocupada com a gestão de compras da sua empresa

Gestão de compras pode ser uma excelente forma de otimizar processos, mas é importante tomar cuidado com alguns mitos.

 

Uma gestão de compras eficiente pode fazer toda a diferença. No setor de alimentos, por exemplo, 75% dos consumidores não conseguem frequentar restaurantes devido aos preços altos, segundo a Fispal e EJFGV. No entanto, com uma administração eficiente de custos na aquisição dos insumos e estímulo à concorrência saudável de fornecedores, é possível tornar esses valores mais acessíveis e ampliar esse mercado. 

 

Como pode ver, é inegável que a área de supply chain tem um potencial enorme para ajudar empresas a crescerem. Seja no setor de alimentos ou qualquer outro, uma boa gestão de compras garante processos mais eficientes e um controle de spend que dão orgulho, especialmente se for feita com a ajuda de um software de compras.

 

Ainda assim, para explorar as vantagens da gestão de compras, é preciso ficar atento aos possíveis erros e mitos que giram em torno desse conceito e impedem que empresas encontrem seu verdadeiro potencial. 

 

Quais os principais erros na gestão de compras e como evitá-los?

 

Não ter uma estrutura de gestão

Em todas as áreas da empresa, planejar é fundamental, mas, na área de compras, isso se traduz em conquistar melhores aquisições, parceiros de negócios e preços competitivos. Um dos maiores erros nessas horas é focar apenas na economia e esquecer outros aspectos que englobam o strategic sourcing como qualidade do produto, atenção a prazos e questões de ESG que podem afetar a governança da empresa.

 

Ao utilizar uma plataforma de gestão de compras como a Nimbi, é possível reduzir o risco de não conformidades relacionadas ao cadastro de fornecedores, de fornecimento (rupturas, danos à reputação e falhas) e de responsabilidade solidária. Além disso, um e-Procurement promove maior transparência nas relações com os parceiros, já que estabelece metas claras e permite o monitoramento em tempo real do desempenho deles.

 

Não atualizar processos manuais

Com a ajuda da tecnologia, a gestão de supply chain tem construído um novo papel nas empresas. Ao fazer a automatização de processos de compras, o comprador deixa as tarefas manuais para os sistemas e pode focar na análise da estratégia do negócio. 

 

É por meio de soluções digitais como a Nimbi que os negócios conseguem reduzir seu lead-time, aumentar a transparência nas transações e ter maior velocidade no fechamento de contratos com ciclos fáceis de cotação em poucos cliques. É possível, por exemplo, diminuir o tempo de aprovação de um processo em até 40% usando apenas notificações automáticas.

 

Não dar foco na etapa de negociação

Negociar bem é crucial para ter bons resultados. É nesse momento que é possível equilibrar demanda e condições para que as duas partes do acordo saiam ganhando, além de construir uma relação de confiança com empatia. 

 

A solução de e-Procurement da Nimbi, por exemplo, é dividida em módulos flexíveis para a empresa contratar a etapa do processo de compras que preferir. No módulo Negocia, é possível reduzir em até 15% o custo de aquisição de bens e serviços, além de diminuir o tempo gasto na negociação em até 80% em comparação com o uso antiquado de e-mails. Assim, o negócio ganha eficiência, objetividade e competitividade, pois acessa uma ampla variedade de possíveis parceiros. 

 

Não ter KPIs de gestão de compras

Empresas têm se baseado cada vez mais em dados, e não é para menos: informações reais têm grande impacto na hora de tomar decisões que definem o futuro de um negócio. Índices como savings, nível de entrega, evolução de preço, custo de comprar, lead-time, satisfação do cliente e muitos outros dizem muito sobre a relação com os fornecedores e apontam o que está ou não funcionando.

 

Ao utilizar uma solução de e-Procurement, é possível obter relatórios e analisar todas essas informações conforme o que faz mais sentido para o seu cotidiano e, assim, reduzir a pressão de stakeholders com tranquilidade.

 

Não incentivar soft skills

Com a automatização da gestão de compras, o comprador precisa entender do que o mercado necessita, aprender a importância das habilidades comportamentais (soft skills) e desenvolver competências que serão complementares a essa nova forma de fazer supply chain. Dessa forma, ele consegue ter uma percepção de toda a cadeia, capacidade analítica, aprendizado constante e flexibilidade para interpretar dados e entender como unir tecnologia e estratégia.

 

A partir dos erros, encontramos soluções importantes que mostram como a gestão de compras pode ser cada vez mais eficiente se a empresa prestar atenção nesses pontos, certo? E, com a ajuda de plataformas como a Nimbi, fica ainda mais fácil alcançar esse potencial de produtividade e otimização tão exigido no mercado competitivo atual. 

 

Quer conhecer ainda mais o e-Procurement da Nimbi e outras tecnologias? Acesse nosso blog e acompanhe nossas redes sociais. 

Compartilhar: 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin