Integração entre TACs e transportadoras: entenda a relação que leva ao alto desempenho na gestão logística

tacs transportadoras gestão logística

Para qualquer transportadora, os TACs são essenciais. Sejam eles agregados ou independentes, grande parte do sucesso da gestão logística está nas mãos desses parceiros. Afinal, são eles quem cumprirão uma das etapas mais importantes do transporte de cargas, que é entregá-la conforme o prometido ao cliente final.

Porém, na maioria das vezes, as transportadoras não conseguem acompanhar esse trajeto como deveriam. Por dependerem de uma comunicação via telefone ou mensagens de texto, essa integração fica à mercê da disponibilidade do caminhoneiro. Por outro lado, muitas inovações têm facilitado esse aspecto que é fundamental para o alto desempenho da gestão logística. E é sobre esse assunto que falaremos neste artigo. Continue lendo e veja como elevar a performance das suas entregas.

Gestão logística: o impacto da integração de TACs e transportadoras na busca pelo alto rendimento

As transportadoras ocupam um lugar interessante na cadeia logística. Isso porque elas são a ponte entre o embarcador e o cliente final, responsáveis pela contratação e gestão do frete. Junto a elas estão os TACs, os Transportadores Autônomos de Cargas.

Mas, por mais tecnologia aplicada para garantir o correto embarque da carga, nem sempre os caminhoneiros estão a par das inovações. Para se ter uma ideia, estima-se que 30% desses profissionais são desbancarizados (não possuem conta em banco). Dessa forma, as transportadoras ainda seguem tendo acesso apenas à “ponta do iceberg”. Isso significa que recebem informações fragmentadas e atualizadas com um grande intervalo de tempo.

Enquanto isso, o caminhoneiro segue exposto a uma série de problemas bastante conhecidos nas rodovias nacionais. Roubo de cargas, congestionamentos, acidentes e a má condição das estradas são apenas alguns dos que podem ter impacto direto na entrega. Integrar transportadoras e TACs, logicamente, não diminui os riscos envolvidos na atividade, mas contribui para que o contratante do frete possa agir ao menor sinal de imprevistos.

Isso é especialmente importante se observamos os resultados obtidos pela pesquisa “Consumer Insights for the 2021 Holiday Shopping Season Survey”. De acordo com o levantamento conduzido pela Outbrain, 52% dos consumidores consideraram a agilidade do frete como principal fator para decidir uma compra. Ou seja, a responsabilidade das transportadoras é grande, uma vez que os embarcadores depositam nelas a certeza de que essa demanda será suprida.

O que as transportadoras têm a ganhar ao investir na integração com os TACs

Quem atua no setor de transportes sabe bem que a pressão pela redução de custos tem sido o maior desafio dos últimos anos. Só que nem sempre dá para cortar gastos e, por isso, investir em um desempenho mais rentável deve ser o foco da gestão logística. A fidelização dos embarcadores é um dos melhores caminhos para isso. Até porque é sempre mais fácil (e menos custoso) ter um bom relacionamento com os clientes e manter um bom contrato que ter, a cada mês, que lidar com a imprevisibilidade da demanda.

E, acredite, os embarcadores também preferem contar com uma gama confiável de parceiros para escoar suas mercadorias. Nesse sentido, a integração entre TACs e transportadoras faz toda a diferença. Afinal, quando esses players estão alinhados, há facilidade em gerir riscos, crises e driblar situações que poderiam causar desgaste, tanto na relação entre as empresas quanto na percepção que o cliente final tem da experiência de compra.

Como fomentar a integração entre transportadoras e TACs na gestão logística

Antes, mencionamos o fato de que parte dos caminhoneiros ainda não está inserida na transformação digital. Portanto, não dá para esperar uma adesão massiva a uma ferramenta que seja complexa e que dependa dos comandos do usuário para funcionar. Entretanto, é isso que a maioria dos aplicativos para caminhoneiros oferece. Por só atualizarem as informações se estiverem abertos na tela, o transportador continua dependendo da disponibilidade do motorista para receber as informações.

Para driblar esse problema, as transportadoras precisam encontrar formas de manter a comunicação com os TACs durante toda a viagem. E a solução, mais uma vez, está na tecnologia. A Nimbi, por exemplo, considerou esse fato ao desenvolver o Gestão de Fretes. Assim, o aplicativo de fretes para caminhoneiros roda em segundo plano e mantém o contratante a par de tudo.

O app é gratuito e está disponível para Android e iOS. Mas ele não traz vantagens apenas para a transportadora. Com ele, o motorista pode, de maneira descomplicada e intuitiva:

  • negociar seus fretes com as transportadoras em poucos cliques;
  • ter acesso ao detalhamento de todas as viagens;
  • visualizar mapas com rotas e pontos de pedágio;
  • solicitar antecipação dos recebíveis.

Com ele, contratante e caminhoneiro têm acesso a informações importantes. Estas, por sua vez, são responsáveis por agilizar a resolução de problemas e, também, profissionalizar a relação entre as partes. Conheça melhor os motivos que fazem do Gestão de frete da Nimbi a tecnologia amiga do transportador e do caminhoneiro.

Compartilhar: 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin