Strategic Sourcing: conheça o conceito de compras estratégicas B2B

Strategic Sourcing

De uns anos para cá, a área de compras foi invadida por uma série de novos termos, inovações e metodologias. E não é para menos: agora, os profissionais deixaram de ser meros compradores e ocupam um papel estratégico em qualquer empresa. Sendo assim, nada mais natural que buscar formas de estruturar o departamento e levar processos ágeis e assertivos para o dia a dia. Um dos conceitos mais relevantes é, sem dúvidas, o strategic sourcing, ou seja, o de “compras estratégicas”.

Ele vem para quebrar uma crença antiga de que o saving é a métrica mais importante para a área de suprimentos. Ao adotar uma postura baseada no strategic sourcing, passa-se a ter uma visão holística sobre as aquisições, inclusive as compras de indiretos. Isso não significa que a briga pelo melhor preço tenha sido deixada de lado! Mas que, agora, fatores como cost avoidance e relacionamento com fornecedores ganham peso na análise.

Atualmente, com a área de compras sendo bastante influenciada pela cultura de dados trazida pela tecnologia, o strategic sourcing ganhou ainda mais força. Afinal, está muitomais fácil conhecer o real impacto de cada uma das negociações, uma vez que a inteligência digital das plataformas contribui para que as informações sejam coletadas e analisadas em um só lugar.

O strategic sourcing, claro, não se resume a isso. E se esse conceito ainda é novidade para você, continue lendo este artigo! Nele, explicaremos melhor o que é e como aplicá-lo na sua empresa. Acompanhe!

Afinal, o que é strategic sourcing?

Embora esteja ganhando espaço, o strategic csourcing não é um conceito tão novo. Na verdade, ele existe desde 1990, mas vem sendo aperfeiçoado com o tempo e a chegada das tecnologias de e-procurement potencializou os estudos ― e a estrutura ― da metodologia. A ideia central é extrair o máximo o custo-benefício das aquisições e, para isso, leva em conta todos os impactos que ela pode ter na empresa.

O conceito prega que os compradores devem estar por dentro das influências externas, internas, logísticas e financeiras e não realizar as compras de forma individual. Isso é: a requisição chega, a área orça, negocia e adquire. Quando a empresa atua sob o modelo do strategic sourcing,até mesmo as compras mais simples são avaliadas sob uma ótica analítica: há uma maneira de otimizá-la? Quais são todos os custos que envolvem a aquisição?O fornecedor tem real capacidade de cumprir com a demanda e o prazo ou há um histórico não favorável? Esse produto está de acordo com as especificações ou é possível ter um melhor com preço equiparável, mas que traga um custo evitado no futuro?

De fato, são muitas as perguntas e métricas que devem ser observadas para garantir uma área de compras assertiva e eficiente. Não à toa, a implementação do strategic sourcing acontece em etapas, como você confere a seguir.

Como implementar o strategic sourcing?

Para incluir a metodologia do strategic sourcing no dia a dia, é preciso, antes de mais nada, definir sua nova estratégia de compras. Também vale mencionar que os processos operacionais precisarão ser seriamente revistos, uma vez que perder eficiência com eles é sinônimo de desperdício. Portanto, é necessário entender o quão preparada tecnologicamente está a sua equipe para dar sequência à metodologia.

Agora, se sua gestão de compras já conta com uma cultura e estrutura de dados, certamente, a transição será muito mais fácil. Você pode orquestrá-la conforme os tópicos abaixo.

Organize e determine parâmetros de desempenho

Aqui entra a análise das categorias de compras, sazonalidades, volumetria, checagem da base em busca de distorções e revisão dos contratos. Outra ação importante é identificar o baseline, o valor pago atualmente, para quantificar os ganhos no final.

Gestão de fornecedores

Essa fase consiste no mapeamento e entendimento do mercado fornecedor para garantir que o processo contenha os players mais competitivos e aderentes ao negócio. O relacionamento com os parceiros, dentro do strategic sourcing, preza pela transparência e compliance, então, é necessário gerenciar outros aspectos da parceria. Todos eles visam a eliminar ou, ao menos, gerenciar os riscos que envolvem a cadeia de suprimentos.

Estratégia de fornecimento

Com esses dados em mãos, está na hora de traçar a sua nova estratégia para a área de suprimentos. Ao realizar o planejamento das compras corporativas é preciso colocar a visão analítica em primeiro lugar. Agora, com acesso às informações e embasamento em um conceito sólido, já não há espaço para “achismos” e todas as decisões precisam estar em consonância com os objetivos do negócio.

Leia também: 5 formas de ter uma gestão de compras mais eficiente e assertiva

O universo de compras é complexo e bastante detalhado. Dessa forma, o strategic sourcing também é bastante robusto e demanda seis etapas de implementação. Neste artigo, buscamos trazer um overview para que você entendesse sobre o assunto. Mas se quiser complementar a leitura e conhecer, em detalhes, todas as fases que ele engloba, baixe o e-book Strategic Sourcing: você sabe o que é?.

 

 

Compartilhar: 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin