Carga fechada x carga fracionada: como saber a opção mais barata na hora da expedição?

carga fechada carga fracionada

Você sabe dizer qual a diferença entre carga fracionada e carga fechada? Ou qual delas é a mais vantajosa na hora de expedir uma carga? Se não tem ideia para as respostas dessas perguntas, fique tranquilo. A distinção entre essas modalidades ainda é motivo de dúvidas mesmo para os gestores mais experientes.

Neste texto, além de esclarecer essas questões, mostraremos como avaliar qual o melhor tipo. Dessa forma, você terá informações suficientes para escolher o mais adequado e, assim, otimizar o embarque das suas cargas. Acompanhe!

Afinal, qual a diferença entre carga fechada e carga fracionada?

Vamos começar pela carga fechada, também conhecida como carga lotação. O nome já dá uma ideia de como ela funciona. Aqui, é necessário apenas um veículo, normalmente, em sua capacidade máxima para entrega direta ao destinatário. Ou seja, a mercadoria sai do embarcador direto para o cliente, sem paradas para triagem.

Agora, quando falamos da carga fracionada, essas características são diretamente inversas. Nela, a operação é normalmente realizada utilizando mais de um veículo. Primeiro, temos um ou mais veículos coletando as mercadorias a serem despachadas e seguindo com elas até um armazém, onde passarão por um processo de separação. Só então, os produtos são encaminhados para a casa dos clientes finais em veículos com múltiplas entregas. Na verdade, são 4 etapas pelas quais a transportadora contratada fica responsável:

  1. coleta dos itens nas dependências do embarcador;
  2. triagem e encaminhamento, onde eles serão separados em lotes e despachados para os centros de distribuição (CD);
  3. separação dos produtos que, ao chegar, devem ser divididos de acordo com a rota de entrega;
  4. entrega ao destinatário.

Como você pôde ver, a carga fracionada é mais complexa e envolve um esforço logístico maior. Em contrapartida, é mais utilizada, uma vez que a carga fechada é mais procurada para o transporte de insumos, grãos ou produtos que exijam equipamentos mais elaborados para a carga e descarga.

O fato é que não existe melhor ou pior, mas sim a solução mais adequada. Na sequência, você confere alguns fatores que o ajudarão a determinar o tipo mais eficiente ― e econômico ― para o embarque da sua carga.

O que considerar na hora de determinar o embarque da carga?

Sabemos que, para qualquer gestor de transportes, todas as ações são guiadas pela busca à redução dos custos. E são muitas as oportunidades que podem ser encontradas: revisão da malha logística, roteirizadores e tecnologias de monitoramento são apenas alguns exemplos. Porém, dá para economizar já na hora de escolher o modelo de despacho. Confira os pontos mais importantes para definir se ele deve ser carga fracionada ou carga fechada.

Carga fechada

A carga lotação, na maioria das vezes, tem um custo mais baixo. Isso porque são eliminadas muitas das etapas presentes no modo fracionado, bem como algumas tarifas. Como a carga sai do embarcador direto para o cliente, também há um impacto no prazo de entrega, que é menor. Inclusive, o veículo pode ser melhor aproveitado, o que ajuda na redução de despesas.

Porém, como você já pode imaginar, é necessário ter uma frota bastante diversa à disposição para atender às necessidades. É uma ótima escolha para quando o cliente tem urgência na entrega.

Carga fracionada

Por ter mais processos entre o despacho e o recebimento pelo cliente final, a carga fracionada não depende apenas do embarcador para chegar ao destino. Desse modo, podem ocorrer atrasos e, em alguns casos, o extravio dos produtos coletados. É ideal para o transporte de mercadorias menores e bastante procurada por quem vende on-line. Isso porque, com o aporte da malha logística da transportadora parceira, tem-se uma capilaridade bem maior.

Não podemos deixar de mencionar que, aqui, nesse modelo, também há uma redução nos custos. Como o mesmo caminhão transportará cargas de diferentes embarcadores, os gastos tendem a ser menores, uma vez que são compartilhados por esses remetentes.

Como a tecnologia pode auxiliar nessa análise?

É claro que é importante que você, como gestor, conheça os prós e contras de cada opção. Entretanto, sabemos que é inviável fazer essa análise a cada expedição que precisa ocorrer. Mas as inovações trazidas pela Logística 4.0 têm sido fundamentais para otimizar esse trabalho.

Alguns dos sistemas de TMS mais robustos do mercado já conseguem automatizar essa parte do embarque. Eles utilizam tabelas de frete, informações sobre a carga, prazos e frota de veículos pré-cadastrados para cruzar esses dados para indicar o tipo mais adequado. Assim, saber se o melhor é a carga fracionada ou a carga fechada é uma decisão que pode levar poucos cliques.

Com esse apoio, além de garantir o melhor custo-benefício, o gestor ganha um aliado estratégico. Afinal, com o cruzamento dos dados e análise da forma mais apropriada de expedição, dá para focar em aspectos mais importantes para o negócio.

Quer conhecer um software de ponta que engloba todas as operações que competem ao embarcador em uma só ferramenta? Leia o texto “Transporta: conheça a plataforma que vai construir a sua torre de controle logístico” e veja os diferenciais.

Compartilhar: 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin