Como um marketplace B2B pode facilitar a gestão de fornecedores?

marketplace b2b gestão de fornecedores

O marketplace B2B se tornou uma grande tendência, especialmente quando falamos na aquisição de indiretos. Mas você sabia que não é apenas nesse ponto que uma boa tecnologia de e-procurement pode ajudar sua área de compras? Algumas das ferramentas mais modernas podem ser de grande valia, também, na hora de fazer a gestão de fornecedores. Esse, sem dúvidas, é um grande diferencial para quem busca negociações mais vantajosas.

Por mais importante que esse trabalho seja, muitas vezes, ele é negligenciado. Ainda mais quando a gestão dos fornecedores exige trabalho operacional dos compradores. Angariar dados, analisá-los e cruzar informações são tarefas que acabam ficando em segundo plano. Afinal, a equipe está dedicada à interação com esses parceiros, não necessariamente em observar seu desempenho. Por isso, um bom marketplace B2B ajuda a sanar esse problema.

Para este artigo, trouxemos 4 pontos da gestão de fornecedores que são automatizados quando o setor de suprimentos conta com um bom marketplace B2B. Acompanhe!

Gestão de fornecedores: quais as etapas que um marketplace B2B pode otimizar?

O grande objetivo de um marketplace B2B é levar mais agilidade para o dia a dia da área de compras. Porém, quando a ferramenta se restringe a um mero hub de compradores e vendedores, o que era para significar eficiência pode se transformar em mais um sistema que, com o tempo, cairá em desuso. Isso porque os processos que envolvem esse setor vão muito além da aquisição.

Então, se você está pensando em aderir a uma plataforma, fique atento à gestão de fornecedores. Especialmente nesses 4 pontos que mostraremos abaixo.

Racionalização da base

Quantos parceiros constam, hoje, na sua lista? E quantos cadastros válidos e atualizados estão disponíveis? Acredite, normalmente há uma grande discrepância entre essas duas respostas. A duplicidade da base de fornecedores é bastante comum e, na prática, torna o dia dos profissionais muito mais difícil.

No momento da implementação do marketplace B2B é feita uma racionalização. Isso quer dizer que a base será revisada em busca de registros repetidos, com documentos que já expiraram e contratos que precisam ser revistos. Ao fim desse trabalho, os compradores têm em mãos uma lista assertiva, onde há garantias de que aquele fornecedor está dentro dos critérios estipulados e tem plenas condições de atender às demandas.

Homologação com critérios predefinidos

A homologação é outro processo essencial na gestão de fornecedores. Negligenciar essa tarefa pode expor sua empresa a uma série de riscos, mas o fato é que, nem sempre, ela recebe a atenção que deveria. Quando se passa a fazer parte de um bom marketplace B2B, todos os detalhes da política de compra da empresa são repassadas ao desenvolvedor.

Isso permite que fiquem na base apenas aqueles que estão com tudo em dia. Mas também permite a inclusão de novos parceiros que estejam em consonância com as determinações da empresa. Isso dá segurança de cumprimento das demandas, autonomia para os requisitantes e áreas adquirirem diretamente de um loja on-line com itens e fornecedores aprovados, garantindo, assim, o compliance dos processos e mais controle para os compradores.

Leia também: 3 perigos de não se fazer homologação de fornecedores

Gestão de documentos

Fazer a gestão de fornecedores engloba, também, a de documentos. Afinal, a cada nova parceria, uma série de comprovações é necessária e ignorá-las pode expor seu negócio a alguns riscos. Os mais comuns são os relacionados a pontos financeiros (falências, inadimplências), logísticos (fraudes nas entregas, entregas parciais), de qualidade e legislação (problemas com  certificações e documentos obrigatórios).

Alguns dos softwares mais completos do mercado geram recorrência dos vencimentos de cadastros e documentos, tirando essa dependência de controle manual. Além disso, oferecem integrações com órgãos públicos ou consultas necessárias para cada tipo de parceiro.

Relatórios de desempenho

E-mails, planilhas, negociações por telefone e anotações ― infelizmente ― ainda fazem parte da rotina de muitos departamentos de compras. Além da insegurança do possível extravio de informações ou erros de digitação, essas práticas dificultam o acesso a dados para análise. Sem um software que digitalize o que, antes, era trabalho operacional, fica difícil medir o desempenho e fazer a avaliação de fornecedores.

Por isso, é essencial que o marketplace B2B disponha de APIs para integração das informações com o ERP que a sua empresa já tem ou que possa gerar relatórios periódicos para esse abastecimento. Além de levar dados dos fornecedores, os levantamentos devem relacionar os pedidos gerados pela plataforma, facilitando o controle de consumo pelos compradores. Algumas opções mais robustas permitem a criação de questionários com pesos, notas e questões personalizadas para realizar a avaliação.

Como você pôde ver, a gestão de fornecedores da sua área de suprimentos tem muito a ganhar com a adesão a um marketplace B2B. Eles podem, ainda, ajudar no desenvolvimento de novos parceiros e assegurar o compliance em compras.

Agora que você já sabe as facilidades que um marketplace B2B pode levar para a sua empresa, conheça o Nimbi Private: a melhor experiência de compras corporativas em uma plataforma 100% digital.

Compartilhar: 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin