5 riscos que você está correndo ao não implementar uma plataforma de e-procurement

plataforma de eprocurement

Mais que uma forma de automatizar tarefas operacionais, uma boa plataforma de e-procurement também desempenha um papel estratégico na área de compras. Isso porque, a partir das funcionalidades oferecidas, os profissionais se tornam mais analíticos, podendo estudar melhor as oportunidades. Ou seja, não contar com uma solução exclusiva para o setor de suprimentos expõe a empresa a alguns riscos.

Neste artigo, trouxemos os cinco principais. Confira uma prévia do que você vai encontrar:

  1. deixar a gestão de fornecedores em segundo plano;
  2. não explorar novas modalidades de compra;
  3. perder muitas oportunidades de Saving;
  4. ver baixa produtividade e alto turnover;
  5. ter um processo defasado.

Continue a leitura e veja por que essas consequências de não contar com uma plataforma de e-procurement são tão nocivas.

5 riscos de não contar com uma plataforma de e-procurement na sua área de compras

1. Deixar a gestão de fornecedores em segundo plano

Ignorar a gestão de fornecedores pode custar caro para a sua empresa! Acontece que, em meio a tantas atividades, é comum essa ficar para depois. O que é um erro bastante grave, já que, assim, os gargalos no fornecimento passam despercebidos. É apenas com uma gestão séria e constante que você saberá se o que foi prometido está sendo cumprido e poderá sanar os problemas na medida em que acontecem.

Uma tecnologia e-procurement completa auxilia nesse trabalho. Isso porque gera recorrência dos vencimentos de cadastros e documentos, tirando essa dependência de controle manual. Ainda, oferece integração com órgãos públicos e consultas dos documentos necessários para cada tipo de parceiro.

2. Não explorar novas modalidades de compra

Você sabia que um leilão reverso pode garantir uma economia média de 13% na compra de materiais e até 18% na contratação de serviços? Essa é apenas uma das oportunidades que sua área de suprimentos está deixando passar por não ter em mãos uma plataforma de e-procurement.

Explorar essa modalidade de compra se tornou muito mais fácil. Afinal, antes de poder organizar tudo 100% on-line, era necessário gastos com reuniões, convites, organização, contratação de leiloeiro, etc. Agora, tudo pode ser resolvido por meio de uma plataforma de e-procurement, com garantia de compliance e segurança de dados.

3. Perder muitas oportunidades de Saving

No tópico acima, já deu para perceber como uma plataforma de e-procurement pode ser capaz de gerar Saving por meio de um leilão eletrônico. Mas não é apenas dessa forma que ela pode levar economia para a área de compras. Ao automatizar o fluxo de compras, dá para ter mais cotações, de diversos fornecedores, em menos tempo. Consequentemente, as chances de conseguir uma boa negociação aumentam.

Mas, aqui, cabe uma ressalva: os ganhos que uma plataforma de e-procurement traz não se resumem à economia imediata. Muitos podem ser percebidos a partir do desenvolvimento de fornecedores, da agilidade nas negociações e nos dados angariados para análise.

4. Ver a baixa produtividade e alto turnover

Sem uma plataforma de e-procurement, é provável que os compradores se apoiem no ERP para realizar a gestão de compras. Porém é fato que esse não é um software voltado a essa função, servindo muito mais como apoio financeiro. E não ter as ferramentas certas para trabalhar a produtividade dos profissionais é posta em xeque, uma vez que muito esforço operacional é necessário para dar sequência às aquisições.

Assim, ao invés de buscarem por novas oportunidades, eles se perdem em meio a planilhas, papéis e mensagens de texto. Além de comprometer a gestão de documentos, por exemplo, não inserir a área de compras na transformação digital pode prejudicar o bem-estar da equipe, levando a altos índices de turnover.

5. Ter um processo defasado

Um dos maiores mitos sobre procurement é que a tecnologia está ao alcance apenas das grandes empresas. Embora isso tenha sido verdade há alguns anos, essa premissa já não se aplica mais à realidade. Agora, dá para encontrar uma plataforma de e-procurement no modelo SaaS (Software as a Service), cujo pagamento se dá por meio de mensalidades e tudo fica na nuvem. Ou seja, não há necessidade de comprar (e renovar) licenças, nem instalar programas no local de trabalho.

Esse avanço democratizou o acesso às tecnologias e deixou sem desculpas aqueles que insistem nos processos de compras operacionais. Por isso, não contar com uma plataforma de e-procurement é optar por uma rotina de compras defasada e, óbvio, pouco competitiva.

Quer saber mais sobre o que uma plataforma de e-procurement deve oferecer para potencializar os resultados da sua área de compras? Então, confira o artigo “Inteligência digital: centralize seu processo de compras com Nimbi eProcurement”. Nele, você vai conhecer os detalhes de uma das ferramentas mais completas do mercado.

Compartilhar: 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin